Bem vindos!


Olá! Sejam muito bem vindos!

Me chamo Marcio Viana, 41 anos, nascido e criado em Belém Novo, bairro simples situado as márgens do Guaíba da zona sul de Porto Alegre - Rio Grande do Sul/Brasil. Formado em TI pelo Senac/RS e Técnico em Guia de Turismo pelo IFRS/Restinga, cadastur de número 21.349246.39-0.

Apaixonado pelos animais e pela natureza. Casado com a aventura e amante da adrenalina. Louco por esportes, música e artes em geral, principalmente por culturas antigas. Me considero um ser de alma livre, espírito desbravador, coração firme e mente forte. Enfreitei de peito aberto muitos desafios impostos pela vida, outros criados por mim mesmo e esses foram os piores. Dores e amores, ganhos e perdas. Várias lições, inúmeros aprendizados.


Após alguns anos na montanha russa da vida afastado de uma vida em harmonia com a natureza e comigo mesmo, vazio e amargurado, me deparei perdido do meu eu.

Foi quando percebi que precisava mudar o curso, encarrilhar novamente. Pouco tempo depois lá estava eu, sedento por me reencontrar, buscando novos ventos, novos lugares que me proporcionassem a conexão com a natureza que tanto tinha lá na infância e da qual tinha me afastado. Junto desta necessidade, andava ali, coladinha, lado a lado, a imensa necessidade de voltar a praticar os esportes radicais que tanto me proporcionavam prazer e adrenalina anos atrás.

Quem procura, acha! Não é mesmo?!?!

Bom, eu achei. Achei a Trip Tri Destinos, empresa que tem um papel muito importante na minha história com o turismo e também em minha vida, mas essa é história para outro post. Esta agência fazia viagens por um valor muito em conta e em um formato coletivo, o que permitia fazer novas amizades além é claro de curtir a natureza e se aventurar através dos esportes radicais ofertados em algumas localidades visitadas.


Então embarquei em uma viagem da Trip Tri com destino chamado V13, nada mais nada menos do que o viaduto mais alto da América do Sul e o terceiro do mundo com 143 metros de altura e 509 metros de comprimento, localizado em Vespasiano Corrêa/RS. Chegando lá, adivinha só! Tinha uma equipe realizando rapel no meio do V13. Não pensei duas vezes, fui lá, e mesmo cagado encarei toda a sua magnitude e altura, desci pela corda. Esse dia, sem dúvida alguma, foi um divisor de águas.


O dia estava lindo e o céu azul. O sol brilhava radiante, como o astro rei que é, a galera em uma vibe muito pra cima, alto astral, dava até pra sentir no ar a enegia positiva. E eu? Eu estava prestes a ter um encontro inusitado, mas a muito tempo esperado. No meio da descida, ali, pendurado na corda, quando bateu aquela sensação de liberdade, de leveza, quando a luz do sol bateu em meus olhos, me cegando, foi ali, ali naquele momento que eu me vi. Sim, me vi cara a cara comigo mesmo, foi como se numa fração de segundos eu tivesse debatido relação e feito as pazes comigo mesmo. O homem que tocou o chão ao finalizar a descida já não era mais o mesmo que a iniciou lá no alto do V13.

Segui viajando com a mesma agência para outros destinos, até que um dia me convidaram para ingressar no seu quadro de coordenadores de viagens. Para entender mais sobre como seria trabalhar com viagens, comecei a analizar os guias e seus comportamentos, quis saber como se preparavam para as viagens e como era lidar com grupos grande de pessoas, todas com particularidades e expectativas diferentes. Queria saber qual era o sentimento pós viagem, se valia a pena. Durante minhas análises uma coisa me chamou a atenção, a forma que eles voltavam das viagens. Alguns chegavam com cara de cansados, outros iam se arrastando até seus carros e uns ainda ficavam quase dormindo aguardando suas caronas. Mas todos, sem exceção, tinham um belo sorriso no rosto e seus olhos brilhavam de um jeito que não tem como explicar, só sentindo. E quando questionados se valia a pena ser guia e assumir todas as responsabilidades agregadas, todos deram a mesma resposta sorrindo... - Realizar sonhos é o melhor emprego do mundo. A gratidão, o melhor pagamento!


Bingo! Eu tinha achado um propósito de vida!

Ser um intermediador, um facilitador na vida das pessoas, ser um realizador de sonhos.

Impactar de forma positiva na vida das pessoas através de viagens e de muito contato com a natureza, buscando sempre resgatar a nossa verdadeira essência, nossa verdadeira natureza.


Hoje, como guia de turismo, presto serviço de guiamento a algumas empresas, sou proprietário da agência Raiz Trips, uma empresa com apenas 1 ano de vida e muito a crescer, voltada a viagens na natureza, acampamentos e travessias. Tive oportunidade de conhecer destinos incríveis, vivi muitas aventuras, mergulhei em diversas culturas, me tornei um homem rico e hoje vivo a vida de forma intensa e leve ao mesmo tempo.


Corri atrás de conhecimento e qualificações, me aproximei daqueles com ideais e valores na mesma linha dos meus, formei uma boa rede de contatos e de amigos, tanto no Brasil quanto no exterior, o que me deixa a vontade de dividir o que aprendi, vi e vivi no meio turístico e em minhas experiências de vida até aqui.


Bons ventos a todos! Até a próxima raizada!

0 visualização
 

©2020 por Marcinho Raiz